Fechar [X]

Notícias

Home » Notícias

Pesquisa Telessaúde em Fonoaudiologia

O Sistema de Conselhos Federal e Regionais de Fonoaudiologia convida os fonoaudiólogos para participarem da pesquisa que visa realizar um levantamento sobre o conhecimento a respeito das ações de Telessaúde em Fonoaudiologia no Brasil.

Não é necessário se identificar.

Clique no llink abaixo e participe .  Sua opinião é muito importante ! 

 https://docs.google.com/forms/d/15iapc8rp5ZbfKdhkGC-av60NJgQ8raXmpNXPLHEBFkc/viewform?c=0&w=1

ELEIÇÕES NO SISTEMA DE CONSELHOS FEDERAL E REGIONAIS DE FONOAUDIOLOGIA

A cada três anos o Sistema de Conselhos de Fonoaudiologia realiza eleições para as gestões do Conselho Federal e Conselhos Regionais. A chapa vencedora comandará o conselho durante o triênio 2016 - 2019. Foram publicadas normativas para que o fonoaudiólogo compreenda como ocorre todo o processo eleitoral.

Para que as condições das chapas concorrentes sejam elegíveis é importante que todos os envolvidos tenham conhecimento, inicialmente, dos conteúdos do Regulamento Eleitoral.

Aprovado pela Resolução CFFa nº 450/2014, o Regulamento Eleitoral dispõe sobre as condições de elegibilidade aos cargos de conselheiro, registro das chapas, processo eleitoral, obrigatoriedade de votação e outras informações importantes para os fonoaudiólogos que intentam concorrer à cargos de conselheiros e esclarecimentos para os votantes.

Outra resolução importante, a RESOLUÇÃO CFFa nº 471/2015, aprova o cronograma das eleições para o triênio 2016/2019, e, em especial, fixa a data limite para a inscrição das chapas em 18 de novembro de 2015 e o período de eleições pela internet entre 16 e 18 de fevereiro de 2016.

Para ter acesso às resoluções, visite o site do CFFa. 

 http://www.fonoaudiologia.org.br/cffa/wp-content/uploads/2013/07/res-471-2015-cronograma-eleitoral.pdf

 http://www.fonoaudiologia.org.br/cffa/wp-content/uploads/2013/07/res-450-2014-regulamento-eleitoral.pdf

Mobilize-se!

ELEIÇÕES PARA SINDICATO DOS FONOAUDIÓLOGOS DO ESTADO DE GOIÁS

CFFA ORIENTA: APLICATIVOS AGREGAM MAS NÃO SUBSTITUEM O TRABALHO DO FONOAUDIÓLOGO

Após demanda dos profissionais e também dos Conselhos Regionais, o Conselho Federal de Fonoaudiologia vem a publico esclarecer a população e também aos fonoaudiólogos quanto a utilização de aplicativos de dispositivos móveis com função de realizar ‘Teste de Audição’.

Não há ordenamento jurídico que proíba ou tire do mercado e de circulação tais aplicativos, entretanto o Conselho Federal de Fonoaudiologia esclarece à população que o resultado do exame só têm fidedignidade se feita por profissional habilitado, em local adequado e com equipamento específico para essa finalidade.

Veja nota na íntegra:

Orientação sobre aplicativos para celular denominados ‘Teste de Audição’

A tecnologia trabalha em favor da ciência e, como resultado, muitos equipamentos e dispositivos vêm sendo criados para auxiliar as pessoas no cuidado com sua saúde.  É inegável a presença de novas tecnologias nas tarefas diárias pessoais e profissionais, em muitos casos agregando conhecimento, eficiência e precisão. Entretanto, em muitos casos o conhecimento e habilidades humanas são insubstituíveis.

Nesse sentido, vimos a público esclarecer que existem no mercado de dispositivos móveis vários aplicativos denominados ‘teste de audição’, que podem ser baixados para uso em smartphones, tablets de todas as plataformas móveis. Esses testes prometem medir a audição do usuário e detectar possíveis problemas auditivos.

 No entanto, alertamos para a possibilidade de ineficácia dos resultados dessas tecnologias, pois inúmeras variáveis interferem na realização de uma avaliação auditiva feita com seriedade por profissionais habilitados. O nível de ruído no local, as especificações do som que será emitido para testagem, a qualidade do equipamento a ser utilizado são apenas alguns dos fatores que interferem no resultado final do exame.

Desta forma, a fidedignidade do resultado poderá ser comprometida. Sendo assim, o Conselho Federal de Fonoaudiologia alerta a população para o fato de que nenhum teste feito por dispositivo móvel substitui o exame audiológico realizado com equipamentos de qualidade, feitos por profissional competente e em local adequado que obedeça todas as normas nacionais e internacionais.

Fonte: Assessoria de comunicação CFFa 

FONOAUDIOLOGIA LANÇA MANUAL DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL EM AUDIOMETRIA DURANTE CONGRESSO DA FUNDAÇÃO OTORRINOLARINGOLOGIA

O Sistema dos Conselhos FEderal e regionais de Fonoaudiologia lançou o manual de Padronização Internacional em Audiometria durante o 14º Congresso da Fundação Otorrinolaringologia (FORL), que aconteceu de 13 a 15 de agosto, em São Paulo – SP. Esta foi a segunda participação do Sistema de Conselhos no evento e consolida a parceria que já acontece na prática entre as duas profissões. No stand do Sistema de Conselhos vários materiais informativos foram distribuídos, como o Manual de Audiologia, folder sobre Reabilitação Vestibular e folder do Teste da Orelhinha. Além desses materiais o Conselho Federal de Fonoaudiologia lançou especialmente durante o evento o manual de Padronização Internacional em Audiometria. Nesse material o profissional vai encontrar informações sobre a ISO 8253 – Parte 01, versão 2010 e sua relação com a Norma Regulamentadora (NR7) do Ministério do Trabalho e Emprego.

A conselheira federal Márcia Regina Teles , considera a participação no Congresso da FORL uma oportunidade para aprofundamento científico, pois aborda temas relacionados à Fonoaudiologia como, por exemplo, zumbido, próteses auditivas, reabilitação vestibular e disfagia. “Também é compromisso do Sistema de Conselhos levar informações aos profissionais nos mais diversos ambientes”, afirma Márcia Teles que também é presidente da Comissão de Audiologia do CFFa.

Avaliação audiológica

Vários fonoaudiólogos participaram como palestrantes no evento. Na apresentação  ‘Avaliação Audiológica’ a conselheira federal Viviane Fontes fez uma explanação para um auditório lotado sobre o tema ‘Uma análise crítica da calibração de audiômetros’, juntamente com  a presidente do Conselho Regional 2ª Região, Thelma Costa que falou sobre ‘Mascaramento Clínico’.