Fechar [X]

Notícias

Home » Notícias

CREFONO5 CONVIDA FONOAUDIÓLOGOS PARA DISCUSSÃO DO NOVO CÓDIGO DE ÉTICA

O Código de Ética da Fonoaudiologia, editado pela última vez em 2004, é tema de Fóruns Regionais para estudo e atualização do documento que disciplina a atuação profissional. O assunto será debatido pelo Sistema de Conselhos Federal e Regionais de Fonoaudiologia em Fóruns abertos a todos os profissionais. A redação proposta para a atualização do Código  está fundamentada na Declaração Universal de Bioética e Direitos Humanos da UNESCO. Contribua com a construção de um documento afinado com questões fundamentais para a sociedade e a Fonoaudiologia!

Em Manaus : 20 de junho às 14h30  Local: Auditório da Assembléia Legislativa

Em Goiania: 29 de junho às 14h30 Local: sede do CREFONO5  R. 242, 30 Setor Coimbra 

 Aqueles que não puderem participar dos Fóruns também podem enviar suas sugestões através do email: codigodeetica@fonoaudiologia.org.br, até o dia 30 de junho de 2015.

 

 

I SEMINÁRIO DE SAÚDE AUDITIVA DO TRABALHADOR

Aconteceu no dia 29 de maio, no auditório da área I da PUC Goiás o I SEMINÁRIO DE SAÚDE AUDITIVA DO TRABALHADOR DE GOIÁS, organizado pelo CREFONO5, CERESTs Regional de Goiania e Estadual de Goiás em parceria com o Departamento de Fonoaudiologia da  PUC Goiás que contou com aproximadamente 140 participantes entre academicos e profisisonais. Durante a programação participaram da abertura a presidente do CREFONO5 Conselheira Silvia Ramos, representando também o DEoartamento de Fonoaudiologia da PUC Goiás, Dr Carlos Campos Presidente da Associação Mercosul de Saúde e Segurança no Trabalho – MERCOSSAT,  Tania  Gerente  do CEREST Estadual, Huilma Cardoso Coordenadora Vigilância em Saúde do Trabalhador: Hebe Macedo  Diretora do CEREST Regional . Durante a programação foram discutidos : Avanços e desafios na atuação dos CERESTs Estadual e Regional de Goiás  tendo como ministrantes as coordenadoras Hebe Macedo e  Huilma Cardoso ; Relato de experiência da Fiscalização em saúde do trabalhador Ministrantes: Ana Claudia Fidelis   e  Andreia Silveira , Fonoaudiólogas do CEREST Estadual de Goiás Mediadora: Juliana Ferraz ;Desafios e Perspectivas para a Vigilância da PAIR no Brasil  Ministrante: Dr. Carlos R. Campos  Presidente da Associação Mercosul de Saúde e Segurança no Trabalho – MERCOSSAT Mediadora: Silvia Ramos ; Protocolo e Notificação Compulsória de PAIR Ministrante: Edilvana Cristina  Fonoaudióloga do CEREST Regional de Goiania  Mediadora: Heine Zanluchi e Aspectos legais, éticos e a importância do laudo audiológico na saúde do trabalhador ministrante:   Mariene Umeoka Hidaka  Fonoaudióloga Professora do curso de Fonoaudiologia da PUC Campinas e Presidente da Comissão de audiologia do  CRFa 2a. Região  Mediadora: Conselheira Thelma Alcantara - Presidente da Comissão de audiologia - CRFa 5a.R. Para a presidente do CREFONO5 Conselheira Silvia Ramos foi um evento muito importante para discussão das ações na área de audiologia ocupacional, trazendo informações sobre atuação dos CERESTs , enfatizando a importancia da notificação da perda aufitiva pelos fonoaudiólogos e ainda foi possivel discutir a questão do laudo audiológico realizado na área ocupacional. Agradecimentos especiais a OPIMED pelo patrocinio do lanche e ao Conselho Regional de Fonoaudiologia da 2a. Região pela rica colaboração da conselheira Mariene Hidaka na discussão sobre aspectos legais e éticos na elaboração de laudos audiológicos. 

 

PL DA POLITICA NACIONAL DE SAÚDE VOCAL É DISCUTIDA EM AUDIÊNCIA PÚBLICA EM BRASILIA

A presidente do Conselho Regional de Fonoaudiologia representando a Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia defendeu nesta terça-feira (12) na Câmara dos Deputados o projeto de lei (PL2776/11) que institui a Política Nacional de Saúde Vocal para Professores. A proposta, debatida em audiência pública na Comissão de Educação, tem como objetivo realizar exames médicos e fonoaudiólogicos em todos os profissionais de ensino da rede pública e privada para detectar indícios de alterações vocais ou outras doenças relacionadas à voz.  O projeto também visa desenvolver programas de prevenção por meio de oficinas e palestras para orientar e habilitar os professores da importância da saúde vocal e do uso adequado da voz nas salas de aula.

Necessidade de prevenção

A presidente Silvia Ramos na reunião, explicou que, caso a política seja aprovada, os fonoaudiólogos poderão ajudar os professores “desde a promoção, fazendo palestrar, fazendo treinamento, até mesmo a reabilitação”. Salientou sua importância  ressaltando que uma pesquisa realizada em 2010 pelo Sindicato dos Professores de São Paulo, em parceria com o Centro de Estudos da Voz - CEV, questionou 3.265 a respeito dos problemas vocais, das quais 1.651 eram docentes. O resultado revelou que cerca de 60% dos professores já sofreram de alguma alteração vocal, em comparação com apenas 35% da população em geral.

Conforme o Dr Eduardo Baptistella, Presidente da Associação Brasileira de Otorrinos, a proposta é importante porque atua em três estágios: prevenção, diagnóstico e tratamento. Ele citou ainda o valor gasto quando um professor precisa ser afastado da sala de aula por problemas vocais. Segundo ele, a quantia só reforça a necessidade da prevenção. "Quando um professor é afastado, tem que ser colocado outro no lugar, então isso demanda custo. O professor afastado está recebendo e o professor que entra no lugar também vai receber. Um estudo do Sindicato dos Professores de São Paulo mostra que R$ 200 milhões por ano são gastos com absenteísmo do professor."

Qualidade comprometida

O autor do projeto, deputado Saraiva Felipe (PMDB-MG), contou que já foi professor de cursinho e sabe que, além dos danos à voz do docente, a qualidade da educação também pode ser comprometida. "Podemos pensar nos prejuízos em termos da qualidade da educação oferecida, sobretudo, para a educação básica. Além disso, tem a questão econômica, o pagamento por muitas aposentadorias precoces, já que as pessoas ficam sem condições de utilizar profissionalmente a voz."

Tramitação


A proposta aguarda relatório do deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) na Comissão de Educação. Em seguida, o texto será analisado pelas comissões de Seguridade Social e Família e de Constituição e Justiça e de Cidadania em caráter conclusivo.

Fonte:  Câmara Notícias

Sessão solene do Dia mundial da voz na Câmara dos Deputados

Em sessão solene que aconteceu no dia 12, deputados e Sistema de Conselhos alertam para os distúrbios que acometem os trabalhadores que usam a voz como instrumento de trabalho. A solenidade requerida pelos deputados Mara Gabrili, Eduardo Barbosa e Marcelo Aguiar foi marcada por apresentações musicais e por cobranças de PLs que tramitam na casa e que tem relação direta com a Fonoaudiologia. A presidente do Conselho Regional de Fonoaudiologia – CRFa 5ª Região, Silvia Ramos, lembrou que a campanha “Seja Amigo da Sua Voz”, ganhou muito apoio entre artistas, os que mais a utilizam como instrumento de trabalho. Porém, segundo ela, essa é uma questão a ser tratada como problema de saúde pública. Entre os profissionais mais atingidos por problemas vocais, Silvia Ramos lembrou o caso dos professores. Pesquisa recente apontou que 76% desses profissionais já sofreram algum problema com a voz, contra 35% da população em geral.

A presidente do CFFa, Bianca Queiroga fez uma retórica das campanhas do Dia da Voz e ressaltou que a iniciativa brasileira foi seguido por outros países de modo que há alguns anos o Dia 16 de abril tornou-se o Dia Mundial da Voz, sendo celebrado de maneira interdisciplinar por diferentes especialistas, cientistas e artistas.

Bianca também falou sobre o Projeto de Lei de autoria do Dep. Saraiva Felipe que Institui a Política Nacional de Saúde Vocal e ressaltou o alto índice de alterações vocais ou disfonias em pessoas que utilizam a voz como instrumento de trabalho.  No caso de professores, por exemplo, cerca de 60% tem ou teve alguma queixa relacionada a voz e 13% já desenvolveu alguma alteração estrutural no aparelho fonador, como os nódulos vocais, popularmente conhecidos como calos nas cordas vocais.

“É inegável que esses números alarmantes preocupam tanto pelo que representam para a saúde e qualidade de vida dos trabalhadores e trabalhadoras, quanto pelo prejuízo que causam ao trabalho. No caso de professores, podemos falar de prejuízos na qualidade da educação. Se queremos que o Brasil seja uma Pátria Educadora, precisamos assegurar a saúde vocal dos professores, e também salários dignos e boas condições de trabalho”, pontua.

Apresentações musicais

A sessão foi presidida pelo deputado Marcelo Aguiar, que se desculpou pela ausência da deputada Mara Gabrilli (PSDB SP), autora do requerimento pela realização da solenidade, que não conseguiu embarcar a tempo para Brasília. O deputado declarou que foi salvo duas vezes de cirurgias vocais em razão de tratamentos com fonoaudiológicos, e comprovou a eficácia da Fonoaudiologia ao interpretar uma canção religiosa no plenário. O deputado foi bastante aplaudido.

O deputado e cantor Sérgio Reis também marcou a sessão solene com seu depoimento e apresentação de duas músicas acompanhado por sua esposa Ângela Márcia.

 Fonte: Ascom CFFa, com informações do Jornal da Câmara

CREFONO5 PARTICIPA DAS ATIVIDADES DO DIA DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE O RUIDO

Aconteceu no último dia 29 no auditório da área I da PUC Goias, em comemoração ao dia de conscientização sobre o ruido uma mesa redonda coordenada pela Arquiteta Maria Luiza Carvalho da UFG e coordenadora da campanha em Goiania e teve como convidados os palestrantes Fonoaudióloga e professora da PUC Goiás Marilia Rabelo que explanou sobre o sistema auditivo e com o arquiteto Walter Garcia que apresentou sua experiencia sobre acústica arquitetonica. O evento contou com a platéia de 120 estudantes e profisisonais das áreas de Fonoaudiologia, Design e Arquitetura e foi promvido em parceria CREFONO5, UFG, CEREST e PUC Goiás. Em 2015, com o lema " Ruido no transito, um vilão que ninguém presta atenção", o dia internacional de conscientização sobre o ruido-INAD foi celebrado pelo oitavo ano consecutivo no Brasil. O ruido de transito se destaca como fonte de poluição sonora, causando custos altos para a sociedade e o objetivo em 2015 foi fomentar a consciência da população e de orgãos públicos sobre o problema.